“Foi injusto e arbitrário o que fizeram”, disse professora aposentada do município que teve seu veículo rebocado, nessa quinta-feira, 18, na rua ao lado do Hospital UDI, no Jaracati (São Luís), por agentes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT). Ela procurou O INFORMANTE, na manhã desta quinta-feira, 19, para dar a sua versão sobre o incidente. Afirmou que é também professora ativa do Estado, mas pediu que, por enquanto, sua identidade seja preservada.

Eis o relato:

“Sou professora do município (aposentada) e do estado (ativa), e trabalho também pela Capes, na UFMA. Sobre o reboque, o veículo realmente estava em lugar errado, mas não com IPVA atrasado. Estou enviando, anexados, os boletos, com os IPVAs de 2021, 2022 e 2023 pagos. Eles foram super irresponsáveis comigo. Por quê? Eu falei que tinha mais de 60 anos, que fui acometida por um câncer de mama, mas, graças a Deus. recuperei-me e estou bem hoje. O carro, quando eu cheguei, enquanto o meu filho estava fazendo uma ressonância na UDI, ainda estava na rua. E era ele quem estava dirigindo pra mim. A minha carteira nem é de carro normal, é de carro automático. Eu entrei no carro para evitar de eles colocarem em cima da rampa. Eu não subi, eu entrei no carro embaixo ainda. E tem câmeras que podem provar isso. Então, eles foram intransigentes, porque eu pedi para eles, e eles alegaram que eu estava com IPVA tudo atrasado, e eu comuniquei para eles que não, que eu fiz um parcelamento no Detran e que já paguei até a última parcela; que só estava faltando mesmo começar a de 2024. A única coisa que o carro tinha era uma multa, que foi, na época do COVID, de dois mil e pouco, porque eu recusei-me a fazer bafômetro, por conta da COVID, por conta da minha idade e meu histórico. E aí eu estou em negociação dentro do Detran, ainda com essa multa. Mas, com tudo isso que aconteceu, acabei de pagá-la. Então, está totalmente correto, não sou bandida, não sou ladrona. Eles foram super intransigentes, mal educados, não respeitaram um direito meu”.

A professora explicou que nos anexos, no último boleto está escrito FALTA porque, segundo ela, estava verificando quantas faltavam pagar, e pagou todas. “Não estou mais com um débito de IPVA dentro do Detran”, afirmou. Ela explicou, também, que o rapaz que aparece no vídeo, de camisa vermelha, conversando em cima da rampa do guincho, é um grande amigo dela, mas que não é psicólogo.

A professora explicou que entrou no carro porque o filho dela, que estava dirigindo, naquele momento se encontrava fazendo uma ressonância. “Expliquei isso aos agentes, mas eles nem quiseram esperar meu filho sair da ressonância. E eu entrei no carro porque eles já estavam guinchando para levar e eu queria evitar. Eu nem posso dirigir carro comum. Devido ao câncer de mama, meu braço não tem firmeza para passar marcha, então a minha carteira foi tirada para dirigir carro automático. Fiz de tudo para eles não botarem o carro na prancha, pedi que ao menos esperassem meu filho sair do hospital, porque ele já estava dentro da sala fazendo a ressonância. Mas não adiantou. Aí eu entrei e fiquei ao volante.

O carro da professora foi levado para a SMTT, no Maranhão Novo/Ipase, com ela ao volante, com viaturas da SMTT e escolta da Polícia Militar, que foi acionada pela secretaria. O veículo ficou apreendido e foi liberado nesta manhã, depois que a proprietária pagou uma taxa do guincho e uma diária. Afirmou a professora que ontem ela pagou a multa que estava atrasada, da época da Covid, ressaltando que essa multa ainda estava em negociação com o Detran.

VEJA A MATÉRIA PUBLICADA ONTEM

Mulher reage a reboque da SMTT, fica dentro do veículo e não sai nem com intervenção de psicólogo 

 

 

 

One thought on ““Injusto e arbitrário”, diz professora que teve carro rebocado ao lado da UDI; ela admite que estacionou em local proibido

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *