SINDUSCON, SINDIPAN, SINDIMETAL, SINDIBEBIDAS, SINDIREPA, SINDVEST, SINDICERMA E SINDIGRAF reafirmam importância da feira para agregar novos filiados, debater inovações e apresentar os segmentos para a população 

A Expo Indústria Maranhão é a maior feira multissetorial do Norte e Nordeste, reunindo diversos segmentos para prospecção de negócios, apresentação de novos produtos, apresentação e positivação de marcas, além de mostrar a força e a importância da atividade industrial na economia maranhense. E na avaliação dos sindicatos participantes da 5ª edição do evento a feira é uma oportunidade de apresentar os resultados do trabalho desenvolvido, agregar novos filiados e debater novas tecnologias em cada setor. Realizada pelo Sistema FIEMA (SESI, SENAI, IEL e Federação) e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com correalização do Governo do Maranhão e SEBRAE-MA. 

O Sindicato das Indústrias de Bebidas, Refrigerantes, Água Mineral e Aguardente do Estado do Maranhão (SINDIBEBIDAS) enxerga na Expo Indústria uma força muito grande de mobilização e de exposição dos produtos maranhenses.  “O SINDBEBIDAS é um sindicato que aglutina tanto as bebidas alcoólicas quanto não alcoólicas como envasadores de água mineral, fabricantes de refrigerantes entre outros. Então, para nós a Expo Indústria é um momento, onde temos a oportunidade de mostrar a produção do nosso setor para todo o estado e demais visitantes”, disse o presidente do SINDIBEBIDAS, Jorge Fortes. 

O presidente do SINDIBEBIDAS também ressaltou a produção maranhense de cachaça. “A cachaça maranhense se diferencia da produção do restante do país pela sua qualidade. Nós temos vários exemplos de fabricantes de cachaça de alambique do nosso estado que já foram premiadas tanto nacionalmente como internacionalmente. Isso é um grande medidor de qualidade e mostra a força que tem esse produto”, comentou Jorge Fortes. 

Jorge Fortes informou que, segundo o último levantamento divulgado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária, em 2021, o Maranhão tem 11 estabelecimentos registrados para a produção de cachaça e 42 duas marcas do produto. “Mas estima-se, baseado em levantamentos feitos pelo SINDIBEBIDAS e pelo Sebrae, que o Maranhão tenha de 450 a 500 alambiques. Então, a produção de cachaça no estado do Maranhão vai bem. O estado tem produzido muita cachaça de alambique, no entanto, ainda é preciso garantir que um maior número de estabelecimentos se registre. Mas para isso é necessário que os órgãos responsáveis aumentem a fiscalização para manter o nível da qualidade do produto e gerar arrecadação”, avaliou. 

Jorge Fortes destacou ainda a importância do setor agroindustrial, que é intimamente ligado ao segmento de bebidas, estar presente na Expo Indústria. “O setor agroindustrial tem se desenvolvido muito no Maranhão, por isso, é muito importante ele estar na feira, porque as indústrias do segmento que trabalham com o setor primário têm relação muito forte com a fabricação de bebidas por causa de culturas com a da cana-de-açúcar.  E isso demonstra a capacidade do Estado do Maranhão em ampliar cada vez mais o seu parque industrial”, avaliou. 


SINDIMETAL – O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico da Região Metropolitana de São Luís e Mesorregião Norte do Maranhão (SINDIMETAL) participou pela segunda vez da feira. A primeira participação ocorreu em 2019. 

O presidente do SINDIMETAL, Osvaldo Amaral Pavão, informou que a entidade retornou para a Expo Indústria por causa dos resultados positivos que o evento vem apresentando ano após ano. “Nós vimos que a Expo Indústria tem tido sempre muito sucesso e o tema de 2023 foi muito atraente: “O futuro passa por aqui”. O SINDIMETAL é um sindicato que abrange várias categorias e não poderia ficar de fora da exposição deste ano”, disse. 

Centenas de pessoas passaram pelo estande do SINDIMETAL, que avalia de forma muito positiva este resultado. “Para a gente já é um sucesso, pois é uma média de público muito grande. E até o último dia nós vamos alcançar um recorde de visitantes”, comemorou. 

Atualmente, o sindicato conta com 80 empresas associadas e a Expo Indústria é uma oportunidade de aumentar esse número. “Nós estamos com um projeto para buscar mais associados. O nosso plano em 2024 é atingir o dobro de associados. Têm várias empresas aqui do setor, algumas ainda não são associadas, e nós estamos aproveitando a oportunidade de estreitar o diálogo com elas e até já conseguimos algumas filiações aqui mesmo. Esse já é um dos nossos saldos positivos aqui na Expo Indústria”, assinalou Osvaldo Amaral Pavão. 

Para facilitar a sensibilização das empresas do setor a participarem do sindicato, o SINDIMETAL montou um estande em parceria com a Aço Metal, que atua há mais de 25 anos na indústria metalúrgica, e a SUNSUPPLY, empresa de soluções em energia solar.  

O espaço também contou com a presença do Conselho Regional dos Técnicos da Indústria da 2ª Região (CRTI-02) para que alunos do curso que estejam concluindo a formação já saiam do local com sua carteira de registro e aptos para atuarem no mercado de trabalho. 

E para facilitar a formação de novos profissionais eles firmaram parceria com a Faculdade Unyleya que está oferecendo desconto em cursos EAD na área. “Nós nos preocupamos em atender todos os lados do setor para fortalecer o segmento. O sindicato quer ampliar seu número de associados e as empresas precisam de mão de obra”, reforçou. O Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão também esteve presente no espaço. 

SINDIPAN – O Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria de São Luís (SINDIPAN) esteve presente na feira desde a primeira edição com a parceria do Moinho Rosa Branca e destacou o incentivo à inovação e novas tecnologias como um dos pontos altos da 5ª Expo Indústria.

“Na primeira feira, nós montamos uma padaria inteira, produzindo tudo. E este ano estamos trazendo a tecnologia dos pães congelados, que é uma das principais ferramentas para quem quer ampliar sua produção e se manter atualizado no mercado. Hoje, o panificador que não se adequar ao congelamento, à massa descansada, não vai fazer nada. Então, é preciso estar atento às novas tecnologias, às novas formas de produção para conseguir ampliar o seu negócio”, afirmou Pedro Robson Holanda da Costa, diretor do sindicato e 1º secretário da FIEMA.

Com 78 filiados, o SINDIPAN também está buscando ampliar este número para fortalecer este segmento da indústria no estado. “O sindicato é a grande ferramenta para que a gente consiga mostrar a força do nosso setor na economia do estado. Sozinho, ninguém faz nada. O sindicato está de portas abertas para todas as empresas que queiram nos ajudar a fortalecer o setor da panificação. O associativismo é o que vai fazer com que a classe cresça e possa trazer novas tecnologias para expandir os negócios, desde os micros até os grandes”, contou Pedro Robson Holanda da Costa. 

Uma das preocupações do sindicato é a formação de mão de obra para o setor, por isso, em seu estande tem realizado aulas-show para fomentar qualificação profissional. “A gente quer que o consumidor vá a qualquer panificadora de bom padrão e ela possa atender em tudo. Pães especiais, pastas, presuntos, queijos, fiambres, vinhos, licores, cervejas artesanais. A gente quer que a panificadora seja um ponto de encontro e que o pão esteja com o consumidor desde o acordar, passando pelo lanche, almoço, lanche da tarde, na sopa e nos caldos antes de dormir”, disse o diretor do SINDIPAN. 

Para Pedro Robson Holanda da Costa, a Expo Indústria oferece aos sindicatos a oportunidade de mostrar o trabalho que é desenvolvido em cada segmento do setor industrial. ‘Eu acho que primeiro você mostra a capacidade que o sindicato tem de agregar. Isso é o que tem de mais importante. A Expo Indústria consegue trazer em todas as áreas, tudo aquilo que tem de melhor no Maranhão e que muita gente não conhece:  tanto no setor industrial, quanto a população em geral”, observou. 

SINDUSCON – Presente em todas as edições da Expo Indústria Maranhão,  o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Maranhão (SINDUSCON) trouxe o Construa Maranhão para a feira deste ano e  contou com diversas palestras sobre tendências da construção civil e do mercado imobiliário, empreendedorismo, cenário econômico, sustentabilidade e meio ambiente, inovação, entre outros voltadas para empresas do segmento, reunindo também bancos como a Caixa, que é uma das principais instituições financeiras que atuam no financiamento de imóveis no Brasil, além da diretoria do Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). 

A presença do SINDUSCON na 5ª Expo Indústria Maranhão, além do conhecimento técnico, reafirma a força da Construção Civil como carro-chefe na retomada da economia no pós-pandemia. Apenas em São Luís, o setor gerou, nos primeiros oito meses do ano, 11.719 novas contratações de emprego com carteira assinada, elevando para 28.066 o estoque de trabalhadores na construção na capital, em agosto de 2023. 

Para aumentar o apoio aos seus associados durante a feira, o SINDUSCON também reuniu no mesmo espaço três conselhos fundamentais para o setor: o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Maranhão (CREA-MA), Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Maranhão (CAU-MA) e o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI-MA). “Estamos aqui, com várias empresas da construção civil em mais uma edição dessa feira exponencial, apresentando ao maranhense a potencialidade do nosso empresariado da construção e do nosso setor, que é o que mais emprega na indústria no Maranhão”, pontuou Fábio Nahuz, presidente do SINDUSCON-MA e vice-presidente executivo da FIEMA.

SINDIREPA – Outro sindicato participante da 5ª Expo Indústria Maranhão é o das Indústrias de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado do Maranhão (SINDIREPA), que desde a primeira edição está presente na feira. Para a presidente da entidade, Leonor de Carvalho, o saldo do evento é positivo, pois é uma oportunidade de os sindicatos para os empresários. “Ainda têm muitas empresas que só conhecem os sindicatos laborais. Hoje, temos 60 associados e a Expo nos ajuda a conversar com mais empresas que ainda não são associadas e a associação é fundamental para a defesa dos interesses da indústria, para trazer novas tecnologias, ampliar a formação profissional e outros benefícios para o crescimento do setor”, disse. 

Leonor de Carvalho destacou que um dos grandes desafios do segmento na atualidade é a logística reversa. “Nós temos cinco produtos que integram a logística reversa: o óleo queimado, a embalagem do óleo, filtro, pneu e bateria. Então, a gente tem que estar orientando as oficinas. São poucas oficinas que têm um licenciamento ambiental, então, o sindicato age para organizar esse trabalho”, explicou. 

Ela ressalta ainda a importância do setor para a economia do estado. “Nosso setor passa por diversas outras atividades porque tudo vem de moto, de carro, de navio, dos caminhões e nós representamos desde a manutenção de bicicleta, motos, carros da linha leve, linha pesada, retífica, lava-jato, aplicação de acessórios e até manutenção náutica e agora nós vamos elaborar também um guia de manutenção de aeronaves”, informou. 


SINDVEST – Quem também presente na 5ª edição da Expo Indústria Maranhão foi o Sindicato das Indústrias de Malharia e de Confecções de Roupas em geral do Estado do Maranhão que coordenou o Maranhão Fashion Week, evento de moda realizado durante a feira multissetorial. “Durante a abertura da Expo ouvimos do governador Brandão que Maranhão Fashion Week vai ficar no calendário do Maranhão. Isso para nós é uma vitória muito grande”, comemorou a presidente do SINDVEST, Ana Rute Nunes Mendonça.  

Ana Rute aproveitou para destacar a importância do evento como um espaço de valorização dos talentos locais e para mostrar a qualidade da moda maranhense. De acordo com a presidente, o evento reuniu produtores de moda e empresários de diversos municípios do estado que puderam expor seu trabalho. “Nós temos uma cultura muito rica no setor de vestuário”, afirmou. O Maranhão Fashion Week aconteceu durante os quatro dias da feira.    

SINDICERMA – O Sindicato das Indústrias de Cerâmica para Construção do Estado do Maranhão (SINDICERMA) também esteve na Expo Indústria e apresentou produtos cerâmicos, notadamente o segmento da cerâmica vermelha que foi representado pelo sindicato durante o evento. “O produto cerâmico milenar e que tem qualidade com benefício térmico e confortável para o usuário”, pontuou a presidente do Sindicerma, Terezinha de Jesus. “Todo o setor da indústria do Maranhão está de parabéns com a Expo. Um projeto feito pela FIEMA e que tem a tendência cada vez mais crescer. É muito importante estarmos aqui fazendo parte desse processo”, destacou.    

Na edição 2023 da feira, o Sindicato das Indústrias Gráficas do Estado do Maranhão (SINDIGRAF) esteve representado pela empresa 7 Cores. “A Expo Indústria, já na sua quinta edição, tem sido para nós, da indústria gráfica, uma excelente oportunidade de fazer relacionamento e mostrar aos maranhenses que o setor gráfico estadual é muito forte e tem condições de atender plenamente, com qualidade, sem precisar demandar de outros estados produtos gráficos, como embalagens, livros, material didático, formulários, de um modo geral”, ressaltou o presidente do sindicato, Roberto Moreira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *